Ninguém é obrigado a nada

Ninguém é obrigado a nada

1 minuto Ser professor é uma escolha. Ninguém vira professor à toa. Tem gente que sente vontade se ser. Estuda e se esforça, consegue. Dedicação! Tem aqueles que são professores por acaso. E experimentam as dores e delícias da docência. Uns, se encantam e permanecem. Outros, se vão. Que bom! Tem aqueles que são professores por engano. E, enquanto não aparece algo melhor pra fazer, vão levando, se enganando… Duro é perceber que passou uma vida inteira, se arrastando, até a aposentadoria. Só lamento! Tem gente Continue lendo

Porque eu escolhi ser Professora.

Porque eu escolhi ser Professora.

2 minutos O mundo sempre me disse que não era fácil ser professora. O reconhecimento de outrora, já não existe mais. Ataques, violência física e moral, desrespeito, falta de materialidade e condições dignas de trabalho, direitos retirados, baixa remuneração… São tantas realidades que muitas vezes cheguei a pensar me acomodar, desistir da luta, ficar quieta e me aposentar na escola. Ou quem sabe um concurso público… Fazer outra coisa, pensar em outra profissão, não! Nasci para ser professora. Assumo. Penso que a educação é Continue lendo

Quinze motivos para o professor da infância comemorar o 15 de outubro de cabeça erguida!

Quinze motivos para o professor da infância comemorar o 15 de outubro de cabeça erguida!

2 minutos Dia 15 de Outubro está chegando e nessa data celebramos o Dia do professor. Muitos professores acreditam que não há o que comemorar, devido ao momento político, a situação de diversas escolas no país, as condições precárias de trabalho que muitos de nossos colegas enfrentam, os baixos salários… Mas entendo que precisamos dar voz a tudo isso e lutar cada dia mais pela valorização e reconhecimento do trabalho docente nesse país. Especialmente aos Professores da Infância, que diariamente enfrentam realidades que desafiam todo Continue lendo

De todo dia

De todo dia

2 minutos “Todo dia ela faz tudo sempre igual, me sacode as 6 horas da manhã, me sorri um sorriso pontual e me beija a boca de hortelã”… Essa letra do Chico Buarque nos ajuda a pensar em como a rotina é marcante em nosso dia a dia e o quanto ela nos assegura na organização do trabalho, da casa, enfim… da vida. E para as crianças e professores isso não é diferente. As crianças já chegam na escola trazendo de casa a experiência Continue lendo

Os primeiros meses do resto de nossas vidas

Os primeiros meses do resto de nossas vidas

2 minutos Hoje vou confessar: já trabalhei com o Ensino Fundamental, mas admito que meu coração está nos Anos Iniciais da Educação Infantil. Como professora dessa modalidade, experimentei a docência para crianças de 0 a 6 anos. Interessante como muitas pessoas utilizam essa expressão, “0 a 6”. Eu mesma me referia assim às idades referenciais da Educação Infantil. Mas o que significa ser professor de crianças de zero ano? Zero significa que existe falta. E há muitas pessoas e educadores que pensam assim sobre Continue lendo

Basta uma pedrinha no bolso

Basta uma pedrinha no bolso

2 minutos A reflexão sobre as relações das crianças com a natureza e a escola tem me motivado a resgatar memórias docentes e recuperar práticas que passei a colocar em discussão em alguns grupos de formação de professores. Uma delas é a criação de espaços privilegiados, em sala, para observações, descobertas e aprendizagens. Sair da escola com a turma toda provoca mudanças cognitivas que são imensuráveis. As crianças buscam compreender o mundo, voltam cheias de perguntas, buscam respostas, novas interações, elaboram hipóteses e, nessas Continue lendo

Desemparedar a Educação Infantil

Desemparedar a Educação Infantil

2 minutos Tenho percebido que a valorização da ligação das crianças com os ambientes e recursos naturais começa a aparecer nas práticas dos professores. Por outro lado, as iniciativas que reconhecem a qualidade e que desenvolvem o uso pedagógico intencional desses recursos ainda são escassas nas escolas que venho acompanhando. Observo, nos docentes, o medo dos riscos, talvez pelo desconhecimento quanto ao repertório a ser proposto e desenvolvido, e, principalmente, a ausência de praças, parques e ambientes arborizados nas instituições ou próximos a elas. Continue lendo

Hora de parar

Hora de parar

2 minutos Desde que me entendo por gente, minha vida acompanha o ritmo do ciclo escolar, ou seja, a cada seis meses, acontece uma parada para respirar. E é sempre a mesma coisa: quando era estudante, os semestres corriam e, ao final, lá estava eu, cansada, ainda buscando forças para os últimos trabalhos e provas. Me tornei professora e o ciclo continuou… Fim de semestre e eu aqui, novamente exausta, imersa em relatórios, reuniões e fechamentos. E não acontece somente comigo. Escuto diversas falas Continue lendo

Junto é mais gostoso

Junto é mais gostoso

2 minutos Há uma máxima que diz que o trabalho do professor é solitário. Que depois que fechamos a porta da sala temos a liberdade de fazer o que quisermos: somos somente nós e os alunos. Todas as vezes que me deixei levar por esse posicionamento me senti na contramão da profissão. É preciso ter cuidado com esse discurso do isolamento. Desde que iniciei minha carreira como professora, sempre busquei estabelecer parcerias com aqueles colegas que podiam acrescentar algo. No início, era mais um Continue lendo