Qual é o papel do Professor da Infância na BNCC?

Tempo de leitura: 2 minutos

“Professor que é aquele que ensina!”

Essa é a definição que vigora no dicionário e no imaginário social. É aquele super especialista, centralizador dos processos educativos e único detentor do saber em sala de aula. Mas e na Educação infantil, será que é isso mesmo? O fato é que, essas ideias e definições indicam concepções que estão em desacordo com os documentos e diretrizes que orientam a Educação Infantil no Brasil, como observa-se, por exemplo, nas Diretrizes Nacionais para a Educação Infantil (DCNEI) de 2009. E qual é o papel do professor da educação infantil, então?

A Base Nacional Curricular Comum (BNCC) de 2017, retoma as concepções das DCNEI(2009) e possibilita a reflexão sobre as práticas e posturas docentes na Educação Infantil. Nessa proposta, o professor da infância, ao sair do centro do processo e se colocar ao lado, se torna um colaborador, participante competente, um pesquisador das pesquisas das crianças, capaz de garantir através da organização de tempos, espaços e materialidades, muitas explorações e investigações com e para as crianças. Para isso, é necessário desenvolver novas habilidades: uma escuta atenta, olhar sensivel e falas cuidadosas, construir novas formas de registros e planejamentos de contextos de aprendizagens com experiências desafiadoras e ainda organizar documentações que comunicam os processos e saberes das crianças. O professor é um mediador, parceiro nas aprendizagens e nas investigações. Ele não é o sabe-tudo que conduz o tempo inteiro as dinâmicas; ao contrário: ele está aberto a novas visões de mundo e aos questionamentos infantis sem impor uma única lógica – que é a sua. É ser um professor aprendiz.

Por fim, diante desse novo contexto que novo documento indica, o professor da infância é um profissional de educação que estuda, pesquisa e se mantém atualizado. Dialoga com diferentes áreas do conhecimento, reconhece e trabalha a diversidade, está em constante formação e sabe muito sobre o desenvolvimento infantil. É também um profissional que não atua sozinho, deve estar em diálogo constante com as famílias e com os parceiros da instituição.

O desafio é grande, mas é compensador! Eu me identifico com esse novo papel do professor da infância e estou sempre buscando aprender cada vez mais sobre as novas concepções e sobre a BNCC na Educação Infantil. E você?

Vem que eu te ajudo!*

 

* Acompanhe o conteúdo no blog e acesse meu curso online na EPI – Escola de Professores da Infância: www.professoresdainfancia.com.br